• LinkedIn
  • WhatsApp
  • Google+

Deu América, no jogo que teimava em não acabar

O Coelho venceu o terceiro Campeonato Mineiro Feminino em sequência após bater o Ipatinga em duelo de ida e volta, que culminou numa disputa incrível de pênaltis. Confira tudo o que aconteceu.

America vs Ipatinga, final of the Campeonato Mineiro Feminino

As fotos : Mourão Panda / América

O Campeonato Mineiro Feminino terminou em alta neste fim de semana! A final entre América e Ipatinga, disputada em duas partidas, acabou sendo muito dura. Depois de um empolgante 3x3 na ida, os times não marcaram na volta. Então, o vencedor seria decidido na disputa por pênaltis. E demorou um pouco...

Durante o tempo normal no campo do SESC Venda Nova, em Belo Horizonte, as duas equipes tiveram suas chances de marcar, mas não acertaram a meta. No começo do jogo (7'), Vanessa acertou um chute fabuloso pelo América, mas a ponte da Karol também foi espetacular.

Mas veio o troco. O Ipatinga acertou a trave em lance confuso dentro da área, e o América contou com a sorte para se livrar do perigo (22').

Os dois times tiveram mais oportunidades, graças a Ronaldinha (43') e Thay (90') para o Ipatinga e Vanessa (78' e 80') para o América, mas a bola não queria entrar. Então, era a hora de cobrar pênaltis. E foi incrível: 18 foram batidos, e destes, 15 entraram.

America vs Ipatinga, final of the Campeonato Mineiro Feminino

Karol salvou o primeiro chute do América, mas deu azar no terceiro: ela desviou a bola, que bateu numa trave, voltou pela linha, bateu na outra e... entrou. Era a chance do Ipatinga de pular na frente.

Depois de um longo suspense, e com todo mundo mandando para as redes, o Ipatinga desperdiçou o 17º, que Camila impediu com autoridade.

Era "só" questão do América marcar o último, o que Carol Dias fez sem hesitar. A partir daí, foi só alegria no gramado para as garotas do time verde e preto, que venceu o troféu pelo terceiro ano seguido, um feito e tanto.

"Foi uma grande responsabilidade", disse Carol Dias depois do jogo. "Seria o último pênalti, porque elas erraram, e tive a oportunidade de marcar. Estava um pouco ansiosa, mas fiquei muito feliz de ter convertido. Ser campeã é uma sensação incrível".

Para o Ipatinga, é claro que fica a decepção, pois elas teriam vencido o 2º título após o troféu conquistado em 2015. Mas antes do jogo, a técnica Kethleen Azevedo já havia exaltado suas atletas: "Estas garotas são mais do que campeãs. Sabemos a dificuldade de jogar futebol feminino, especialmente no interior. Elas não vivem só de futebol, precisam trabalhar, estudar e ainda conseguem treinar com seriedade. Não é fácil. Só é possível porque elas amam o que fazem, posso ver nos olhos delas o quanto elas querem esse título".
America vs Ipatinga, final of the Campeonato Mineiro Feminino