• LinkedIn
  • WhatsApp

Dois trunfos para o Água Santa

Líder praticamente de ponta a ponta da primeira fase da A2 paulista, clube de Diadema conta também com os dois artilheiros do campeonato, Dadá Belmonte e Alvinho, envolvidos em uma disputa sadia.

Dadá Belmonte and Alvinho have already scored 18 goals for Agua Santa this season in Paulista A2

Giancarlo Giampietro
Em São Paulo

Dentre os diversos campeonatos estaduais jogados Brasil adentro, a A2 paulista é notoriamente um dos mais competitivos, mesmo que de Segunda Divisão.

A disputa rumo aos mata-matas da edição deste ano, encerrada no final de semana passada, deixou isso claro: apenas seis pontos separaram o último colocado, o Linense, do Taubaté, que assegurou a oitava e derradeira vaga para a fase decisiva.

Num contexto tão acirrado, o Água Santa, líder praticamente de ponta a ponta, largou à frente, muito antes de o campeonato começar. Foi quando acertou a contratação de dois atacantes de origem nordestina, sem muita badalação: Dadá Belmonte e Alvinho. A aposta foi certeira: juntos, eles marcaram 15 gols nos primeiros 15 jogos, concorrendo rodada a rodada pela artilharia da A2.

Alvinho, 26, que vinha perseguindo o companheiro quatro anos mais jovem nas últimas semanas, enfim pulou para o topo da lista na quarta-feira (dia 3), ao anotar um “hat-trick” em goleada acachapante sobre o Taubaté pelo jogo de ida das oitavas de final (5 a 0!). Ele agora tem onze gols, após ter feito mais um na volta (dia 6, outra vitória por 2 a 0), contra oito de Dadá. Bem que ele avisou o parceiro que iria chegar, mandando recados de brincadeira.

"É uma disputa sadia. Chego até ele e digo que vou alcançá-lo. Continuamos brincando sobre isso. Um torce pelo outro", disse ao MyCujoo o artilheiro da A2.

Uma nova chance

É de se supor que o desempenho neste ano desperte a atenção do mercado brasileiro sobre a dupla do Água Santa. Conversando com cada um deles após um treino em Diadema, porém, você vai descobrir que ambos já tiveram uma primeira chance de defender alguns dos clubes mais tradicionais do país.

Na base, Alvinho passou três meses em período de avaliação com o Vasco. Dadá, por sua vez, foi testado pelo Internacional em 2017. Vale a experiência de alguma forma, mas dá para dizer que nenhum deles teve a melhor sensação em suas respectivas passagens.

O caso de Dadá, aliás, foi o mais emblemático sobre os desafios para qualquer jovem jogador brasileiro se firmar, principalmente quando vindo de São José do Belmonte, no sertão nordestino. O meia-atacante foi escalado nos treinos para jogar de lateral direito, o que o desagradou de imediato. "Quiseram mudar minhas características. Pedi para ir embora", disse.

Outras complicações fora de campo o fizeram deixar o clube porto-alegrense antes do prazo, retornando para o Salgueiro-PE, que defendeu até o ano passado.

Já Alvinho, nascido em Currais Novos, no Rio Grande do Norte, deixou o Rio de Janeiro para se tornar profissional rapidamente pelo ABC-RN, tendo disputado pela equipe as Séries B de 2012 a 2014, com boa participação especialmente em 2013 (23 partidas e mais de 1.000 minutos). Em 2017 e 2018, teve seu primeiro contrato com um time paulista, o São Bernardo. Depois se transferiu para o Sampaio Corrêa.

Alvinho scored 10 goals including a hat trick in the Paulista A2 Round of 16 first leg

Tudo em casa

Não são apenas a origem nordestina e o ótimo desempenho em que une Dadá e Alvinho. Ambos são agenciados pela mesma empresa. O que já facilitou um entrosamento antes de vestirem a camisa do Água Santa. Sim, as provocações começaram bem antes de se apresentarem na região metropolitana de São Paulo.

Ainda que empolgados e confiantes com o novo capítulo na carreira, eles também não podiam imaginar que, ao final da fase de classificação, estariam disputando a artilharia. Por outro lado, a julgar pelo clima de pré-temporada, o sucesso do Água Santa já não era tão inesperado.

"O objetivo era o acesso desde o início, desde que o elenco foi formado. Deu para ver que estavam todos bastante focados", disse Alvinho. "Estamos muito felizes aqui. Todos nos acolheram muito bem. É uma família."

O Água Santa de fato teve uma arrancada de desempenho incrível, tendo conquistado 25 de seus 31 pontos nas primeiras dez rodadas – aproveitamento de 83%. O terço final da primeira fase já foi mais complicado. "Creio que é normal esse desgaste, num campeonato tão forte", disse Alvinho. "Por isso a prioridade é o acesso. Se algum de nós disparar, o outro estará torcendo."

O certo é que, nessa disputa, o Água Santa já sai ganhando.